segunda-feira, 26 de novembro de 2012

AULA 1 - ÉTICA 2 - 2012-2013



I.                    Introdução: alguns problemas teóricos e práticos

- Ramos da ética: ética teórica empírica, ética teórica filosófica, ética normativa, e ética prática. (cf. blog: aula sobre ramos da ética)

- Alguns problemas de ética teórica: relativismo, racionalismo, conhecimento moral, particularismo, absolutismo, intuições.

- Alguns problemas de ética prática: cf. índices: Companions; Singer; McMcMahan, Beauchamp & Childress.

- Tópicos do Curso:

[Vida, morte e identidade]: quem somos nós, seres humanos? Quais os benefícios e malefícios de viver e morrer? O que é a vida e quando morremos?

[Ética, racionalidade e intuições]: o que significa que algo seja errado? Por que é errado tirar a vida? Qual é o valor da vida?

[O uso de outros animais pelos seres humanos]: a exploração de outros animais. Animais são pessoas? Animais têm direitos? O que é o abolicionismo?

[A pesquisa e o uso de embriões humanos]: nós já fomos um dia um embrião humano de cinco dias? Se o embrião humano é humano, ele não têm direitos? Podemos nos beneficiar da morte de embriões?

[Fetos humanos e o problema do aborto]: nós já fomos um feto em desenvolvimento? E um feto desenvolvido? O aborto precoce é diferente do aborto tardio? A mulher não tem direitos sobre seu corpo? É lícito abortar? Quando?

[Recém-nascidos e o problema do infanticídio]: como os gregos e romanos faziam, antes dos cristãos aparecerem? Por que os cristãos mudaram isso? O que fazer com bebês severamente deformados e/ou deficientes? E com bebês anencéfalos? Os índios brasileiros ainda autócnes podem licitamente manter as tradições de infanticídio? O que pensar do aborto "pós nascimento"?

[Autonomia, medicina, e a eutanásia]: por que temos liberdade de escolher? O suicídio pode ser racional e voluntário? Se ele pode, ele deve ou não ser aceito? E a eutanásia? Diretrizes antecipadas devem ser respeitadas? Pacientes podem recusar tratamento e decidir como morrer? Eutanásia não voluntária deve ser proibida?

[Quando e quanto salvar da morte]: a pobreza absoluta e a riqueza absoluta hoje. Os ricos tem obrigação de ajudar os pobres? Por quê? Devemos ser caridosos? Devemos fazer mais e outras coisas, além de ajudar? Devemos apoiar a manutenção e extensão do Bolsa Família? E do Imposto de renda negativo? O que a proposta de renda básica de Van Parjs e Eduardo Suplicy?

[Por que a justiça é importante: igualdade e saúde pública]: A pobreza relativa. A injustiça social. Estado de Bem Estar Social e socialismo. As ações afirmativas. A questão do negro e dos índios no Brasil. A diminuição da desigualdade no mundo e no Brasil. Sistemas de saúde e direitos fundamentais.

[Violência, violência política, e punição]: Por que exatamente a violência é um mal? Como combater a violência? A homofobia no mundo e no Brasil. A pena de morte é boa ou ruim? E o que dizer da violência como instrumento político? O terrorismo é aceitável? Ocupação de terras e de terrenos é aceitável?

[Futuro e futuras gerações]: a moralidade climática. O aquecimento global é fato ou mito? O que se deve fazer? O que se deve fazer individualmente? Se as futuras gerações não existem, elas possuem algum direito?

[A ética na pesquisa científica com seres humanos e outros animais]: Podemos usar seres humanos como cobaias? Se não, porque podemos usar animais? Quais os direitos de alguém submetido a uma pesquisa?

[Apêndice 1: Bioética e Religião]: (Bioética secular e crítica e fé cristã). É possível ser religioso e utilitarista (deontoutilitarista)? É possível ser religioso e seguir uma bioética secular? É possível defender o aborto, a eutanásia, e o suicídio assistido, e manter-se por exemplo, cristão ou budista?

[Apêndice 2: Novos problemas (Clonagem e enhancement)]: é licito clonar seres humanos para fins terapêuticos? E para fins reprodutivos? Podemos eticamente usar a ciência e a biotecnologia para melhorar geneticamente ao menos alguns seres humanos?

sábado, 10 de novembro de 2012

Ética II - Graduação em Filosofia - aberto a todos


Curso de Ética 2 – Graduação em Filosofia – UFU
Prof. Alcino Eduardo Bonella (UFU/CNPq)

Disciplina de Ética II.

Disciplina obrigatória, sem pré-requisito ou co-requisito. Alunos de outros períodos da filosofia, alunos que já fizeram a disciplina e querem ver estes outros conteúdos, alunos de outros cursos, ouvintes e pessoas da comunidade em geral são todos sempre bem vindos!

Justificativa: 

Depois da introdução à ética teórica, na disciplina de ética 1, em ética 2 teremos uma introdução á ética prática, e veremos elementos fundamentais para uma bioética filosófica. Já em ética 1 vimos que a disciplina chega muito perto de questões práticas e políticas da vida humana. Mas em ética 2, ao abordarmos diretamente a ética prática, teremos uma introdução sobre como tratar filosoficamente de assuntos relevantes para a sociedade e para qualquer pessoa interessada em vários assuntos práticos que envolvam a ética e o valor da vida.

Ementa: 

O curso aborda fundamentos de ética, ou seja: aspectos essenciais, teorias clássicas e recentes, e argumentos interessantes sobre a dimensão normativa e valorativa da vida moral, e sobre a tal dimensão aplicada como guia a problemas morais vinculados ao ato de salvar ou tirar a vida.

Objetivos:
O objetivo central (1) será tratar de assuntos geralmente estudados na Bioética. (2) Conhecer algumas obras centrais de ética prática, especialmente obras de Peter Singer, Jeff McMahan e Tom Beauchamp/James Childress, obtendo uma visão coerente de ao menos parte de seu conteúdo, será outro objetivo em vista. Por último, (3) ajudar os alunos a elaborar um pensamento crítico sobre os temas, e escrever de maneira clara, distinta, e objetiva sobre tais problemas.

Conteúdos:
     
     1.      Introdução: alguns problemas.
     2.      Vida, morte e identidade.
     3.      Ética, racionalidade e intuições.
     4.      O uso de outros animais pelos seres humanos.
     5.      A pesquisa e o uso de embriões humanos.
     6.      Fetos humanos: o problema do aborto.
     7.      Recém-nascidos: o problema do infanticídio.
     8.      Autonomia e medicina: suicídio e eutanásia.
     9.      Quando e quanto salvar da morte: a pobreza absoluta.
     10.  Por que a justiça é importante: igualdade e saúde pública.
     11.  Futuro e futuras gerações: a moralidade climática.
     12.  Ciência e tecnologia.
           Apêndice 1: Ética e Religião.
           Apêndice 2: Novos problemas.

Metodologia: 

O curso mesclará exposição pelo professor, com estudos dirigidos breves, e discussões, de textos da bibliografia obrigatória, além de três seminários de análise do conteúdo visto em aulas.

Avaliação

Haverá duas provas individuais, sem consulta, mas preparadas em casa, valendo 35 pontos cada uma; e três seminários, cada um com um grupo principal e dois coadjuvantes, valendo 10 pontos cada um.

      a)      Seminário 1: tópicos 1 a 4 (10 pontos);
      b)      Seminário 2: tópicos 5 a 8 (10 pontos);
      c)      Prova 1: tópicos 1 – 8 (35 pontos);
      d)     Seminário 3: tópicos 9-12 (10 pontos);
      e)      Prova 2: tópicos 1 – 12 (35 pontos)

Exigir-se-a que as respostas da prova escrita atendam ao que é efetivamente solicitado pela questão. Exigir-se-a, na realização das questões, os seguintes critérios, todos contendo o mesmo peso: (i) domínio do conteúdo, (ii) clareza conceitual e objetividade, (iv) bom uso da língua e da argumentação. As questões são dadas antes da prova (7 dias), para que o aluno possa estudar em casa e fazer a prova sem consulta.

Bibliografia:
            
     a)     Obrigatória:

SINGER, Peter. Practical Ethics. (3ª ed.). Cambridge, Cambridge University Press, 2011. (há tradução, da segunda edição de 1993, pela editora Martins Fontes, 2006; e pela editora Gradiva, 2004. Além de algumas mudanças, a terceira edição contém um capítulo novo sobre o aquecimento global, e a retirada do capítulo sobre imigrações).

McMAHAN, Jeff. “Identity: Are we organisms?”; “Identity: the embodied mind account”; “Killing: Equality and Respect”; “Beginnings: early abortion & late abortion”. In: The ethics of Killing. Oxford, Oxford University Press, 2002. (há tradução – não muito boa – pela editora Artmed, 2011: conferir os sub tópicos selecionados para este curso).
BONELLA, Alcino E. Introdução à bioética. Uberlândia, s/e, 2013 (em preparação: será fornecido aos alunos um esboço dos capítulos deste livro).

     b)      Outras referências:

DeGRAZIA, David. “Prenatal identity: Genetic Interventions, Reproductive Choices”. In: Human Identity and Bioethics. Cambridge, Cambridge University Press, 2005.

ENGELHARDT, T. Fundamentos de Bioética. São Paulo, Loyola, 2004.

_______. Fundamentos de Bioética Cristã. São Paulo, Loyola, 2003.

FREY, R. G. & WELLMAN, C. H. (ed.). A Companion to Applied Ethics. Oxford, Blackwell, 2005. (tópicos selecionados vinculados à disciplina).

REGAN, Tom (ed.). Matters of Life and Death. (3ª ed.). New York, McGraw-Hill, 1993.

______. Jaulas vazias: encarando o desafio dos direitos animais. Porto Alegre, Lugano, 2006.

SGRECCIA, Elio. Manual de Bioética. I: Fundamentos e Ética Biomédica. São Paulo, Loyola, 2002.
_______. Manual de Bioética. II: Aspectos Médico-Sociais. São Paulo, Loyola, 2004.

SINGER, P. (ed.). “Applications”. In: A Companion to Ethics. Oxford, Blackwell, 1993. (há tradução para o castelhano, pela editora Alianza, 1995, e um exemplar se encontra na biblioteca).

KUHSE, Helga & SINGER, Peter (ed.) A Companion to Bioethics. Oxford, Blackwell, 2001.