domingo, 19 de junho de 2011

Moralidade Climatica - alguns aspectos introdutorios

(computador sem acentos)


O professor John Broome, filosofo e economista, foi indicado para coordenar uma das partes do painel sobre o aquecimento global, da Onu. Ele estara lancando um livro em breve, chamado Moralidade Climatica. Vou tentar apresentar os pontos centrais do livro atraves de um resumo do esboco do livro que ele disponibilizou a algumas pessoas. Antes, porem, neste artigo, apresento a uma visao geral de alguns pontos essenciais no debate sobre o meio ambiente hoje, que se ligam aa minha area de estudos, a etica (Broome, seguindo a tradicao inglesa, a chama de filosofia moral).

* * *

Podemos avaliar a qualidade de uma acao ou de uma regra de acao (uma lei, por exemplo) - se
ela eh "boa" ou "ruim" - com base (1) na evidencia disponivel de suas
consequencias (e para isso precisamos da ciencia) e (2) nos valores envolvidos em
tais fatos (e para isso precisamos da etica). Alguns assuntos sao mais complicados que outros e a ciencia e a etica serao nao soh imprescindiveis, como tambem um pouco mais complicadas do que a moralidade do senso comum e a observacao do bom senso.

O problema ecologico esta no dano que o aquecimento global antropogenico
(influenciado pelas acoes humanas) causa ou causara a pessoas e animais (atuais
e futuros). Em torno disto estarao os fatos ou consequencias de acoes e leis, e para sabermos disto com mais precisao precisamos da ciencia. Eticamente, a moralidade comum prescreve que nao podemos causar danos a terceiros apenas para nos beneficiar, e quando o fazemos, que devemos compensar os que sao prejudicados.

Entao, a moralidade pessoal, neste contexto, esta em evitar ou mitigar o dano que
causamos aas pessoas (atuais e futuras) e animais (atuais e futuros) por causa
da nossa emissao pessoal (prejudicial) de CO2 e outros gases do efeito estufa (como o metano).
Parece que ha duas formas de evitar ou mitigar tais danos: evitando e/ou mitigando a emissao,
ou, coletando do meio ambiente a mesma quantidade que emitimos, de modo que
mesmo que mantenhamos nossa emissao (p.e. usando carro), zeremos o dano ao meio
ambiente da nossa parte.  (p.e. plantando arvores).

Parece que podemos todos consumir menos, consumir menos carne, diminuir gasto de
energia, tentar substituir o tipo de transporte, usar alcool e nao gasolina,
etc. Nao fazer o maximo nao significa que estamos livre para nao fazer nada, e
eu sei que a maioria de nos ja fazemos alguma coisa. Mas isso ainda eh emitir e
causar danos, de modo que precisamo compensar o dano causado (coletando o CO2
emitido ou pagando para que coletem, ou de alguma outra forma). Isso parece causar um dano para nos,
mas podemos ser compensados por isso usufruindo agora algo que ficaria para as geracoes futuras, que, em tese, serao mais ricas do que nos. Assim, nos nao somos prejudicados por evitar emitir gases danosos. (Broome chama de offsetting tal ideia e tecnica)

Parte importante da moralidade pessoal esta em pressionar o governo para que adote
leis e politicas que evitem ou mitiguem o efeito estufa em escala nacional e/ou
internacional, alem de escolher representantes politicos que saibam defender
fundadamente boas propostas. (Mas havera tal especie de politico?)

Abs, Alcino

Nenhum comentário:

Postar um comentário